Páginas

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Fazendo parte de três mundos, de Marcia Poesia de Sá


Fazendo parte de três mundos

Há tanta reticência fazendo amor com pensamento, tantos "se"s...
e a cada nova nuvem, seja de esperança ou de tempestade, o poeta viaja
apenas arruma as malas dos versos, tira a poeira da capa e sai...
Vai até a linha imaginária que divide a sanidade a outras coisas
Antes, escova os neurônios com uma escova macia
jamais soube do que ela é feita!

Ha tantos pontos finais se suicidando das linhas
nem eles sabem porque o fazem, apenas fazem
e o poeta vê... sente a dor que não o deixa ponderar
depois, escreve sobre ele... coisas de saudades, rancor e vazio
Pobre ponto final, tão equivocado...

E há aquele mundo que todo poeta adora
o mundo onde os olhos casam com o silêncio, e tem como madrinhas e padrinhos
as utopias e devaneios. É um mundo basicamente lilás e azul turquesa...
lá, as nuvens são levemente doces, e a brisa tem aroma de mirra no final da tarde.
Quando está ensolarado neste mundo, existem vendedores de limonada
eles parecem borboletas e ficam apressados quando a vendedora de virgulas
passa risonha com sua saia de bolinhas...

Viver em mundos tão distintos e permanentemente mutantes entre si
é o que nos dá este ar que dança entre o intimismo e a desatenção.
E nos faz em certos momentos, ver coisas que ninguém vê
e sentir fundo n'alma, essa reticência infinita.


Márcia Poesia de Sá - 23.12.2012

2 comentários:

  1. Minha linda poetisa! fiquei comovida de verdade...por constar neste recanto tão lindo e cheio de carinho teu! Obrigada mana das letras, beijos muitos...

    ResponderExcluir
  2. Queria um espaço pra trazer aquelas letras que me tocam, e as tuas sempre fazem isso, vais aparecer muito por aqui, fiques certa.

    Amo tu, irmã!

    beijo no coração

    ResponderExcluir